Arquivo do mês: abril 2010

Get Togethers da STB

Então gente, são 15 pra uma da manhã, amanhã tenho aula, tenho que terminar meu projeto de matemática, mas vim aqui por amor a vocês. (Tá, nem tanto)

É o seguinte, estava eu, no meu twitter, comentando o andamento do meu projeto pra ponte de Sydney (a Harbour Bridge) pra Maths A, que é um saquinho e até agora eu já fiz 3 folhas e não tô nem na metade, mas é pra amanhã e vale nota…

Até que apareceu um tweet da @STB_Brasil assim “Atenção cariocas: o STB promove esta semana encontros p/ os interessados em Young e High School tirarem as suas dúvidas http://migre.me/z4P1” então fui dar uma conferida pra ver se era válido postar aqui, pra dar uma luz pra galera que quer fazer intercâmbio e tal… E achei suuper válido, vou copiar o texto aqui, mas vocês podem conferir no site deles que tá no tweet aqui em cima.

“STB esclarece dúvidas sobre os programas High School e Young

O Student Travel Bureau (STB) fará, no final do mês, uma série de get togethers em suas lojas de Ipanema e do Centro, sobre os programas High School e Young. Na ocasião, os interessados poderão esclarecer todas as suas dúvidas sobre ambos os cursos.

O High School é o mais tradicional programa de intercâmbio. Voltado para os jovens entre 14 e 18 anos, o curso proporciona ao aluno estudar uma parte ou todo o ensino médio no exterior, aprendendo a cultura do país escolhido, através do convívio na escola, na comunidade, na família ou na residência estudantil. Já o Young, realizado nas férias de janeiro ou julho, inclui o estudo de um determinado idioma e é complementado por diversas atividades que aumentam a interação com estudantes de várias nacionalidades: excursões de meio dia ou dia inteiro, prática de esportes e festas temáticas.

Horários dos Get Togethers:
STB Ipanema: Young no dia 26 e High School no dia 27 ambos às 18 horas.
STB Centro: Young no dia 2 e High School no dia 29 ambos às 18 horas.”

Então gente, quem tiver interessado em fazer um dos programas, ou tiver curiosidade pra saber mais, nada melhor que os especialistas pra tirar as dúvidas de vocês né… E eu mega indico a STB Ipanema, e quem for lá, procura o Rui e fala que foi indicação da Vivian, de Adelaide. Ele é super fofo e paciente.

Então, vim aqui só pra dar esse recado pra vocês, tenho que voltar pro meu projeto da ponte. Quem quiser ir no get together, não perca a oportunidade, e quem for, passa aqui pra comentar me contando como foi que eu faço um post sobre. =D

Enfim, tenho que ir. Obrigada a quem passa por aqui, obrigada a quem acompanha e obrigada a quem comenta. E beijinhos pra quem teve paciência pra ler até o final. =*

E só pra não perder o costume:

VALEU STBÊÊÊÊ!!!

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Intercâmbio, STB

Crianças super desenvolvidas.

Gente, juro que não é post pra encher o blog, é que hoje eu saí de casa pra ir pra city às 4:30 pra ~almoçar~ no Hungry Jacks (e de sobremesa cookies do subway *-*), cheguei toda feliz no city cross da rundle mall quando vi que eram 5 e 10 e tava tudo fechado. mimimi. Continuei andando pelo city cross, vi uma loja de brinquedos e lembrei que tenho que comprar um presente de aniversário pro Brad.

Oi quê?

Não esse Brad, pro Brad Vince, meu irmãozinho novo que fez 5 anos e não deu tempo de comprar um presente.

Então comecei a pensar no que podia comprar, a primeira coisa que eu pensei foi em um bonequinho do carros, mas ele já tem vários, então pensei “com o que ele costuma brincar?” e me dei conta que a coordenação motora dele é melhor que a minha.

Acompanhem o raciocínio: pra começar, o moleque acabou de fazer CINCO ANOS. Ele passa o dia inteiro, todo dia, na internet jogando um jogo ONLINE de Star Wars que é tipo um Unreal (eu não consigo passar nem da peimeira fase na merda do jogo e ele consegue todas). Daí no aniversário dele ele ganhou MUITO lego e, pasmem, no PRIMEIRO DIA ele montou SOZINHO uma nave só seguindo as instruções com gravuras. Gente, quando eu tinha 5 anos eu tinha dificuldade pra maquiar minhas bonecas, como é que o Brad monta uma nave de lego sozinho??

Não sei se todas as crianças de hoje em dia são evoluídas assim, não sei se são as crianças da Austrália que são evoluídas assim, não sei se é o Brad que é evoluído assim e não sei se eu que fui uma criança retardada. E acho que não vou conseguir chegar a uma conclusão, só vim aqui dividir com vocês essa coisa que eu tenho remoído na cabeça.

Beijos gente. =*

(prometo que amanhã, ou depois, faço um post mais intercâmbio, acho que vou falar das minhas férias, esse foi só uma observaçãozinha)

4 Comentários

Arquivado em Nada de muito importante

Arrumando o blog

É galera, não arrumo o quarto mas arrumo o blog (desculpa mãe). Tentei fazer uma promoção que não adiantou em nada, ninguém nem deu sinal de vida pra me ajudar, então resolvi pedir ajuda pra @ih_caraca, já que fiz o blog motivada pelo blog dela pensei “ela deve entender dessas paradas né”, fui no twitter e pedi socorro. E o socorro chegou, esse tweet fez com que eu descobrisse o que eu tava fazendo errado e como deixar bonitinho:

[Antes de continuar, vou fazer o merchan amigo. Passem no http://semconsenso.wordpress.com muito bom, eu mega acompanho =D ]

Mas enfim, fui tentar seguir as instruções, mas o maldito botão “cabeçalho” simplesmente não existia na minha página. Tentei mudar o idioma, tentei tudo, até que fui no support (é, só lembrei do support ontem) e descobri que só alguns temas podem mudar o cabeçalho e o meu não podia. Então vi a lista dos temas compatíveis e fui escolher. Demorei horas e consegui escolher um (esse aí que vocês estão vendo) e finalmente achei o tal botão do cabeçalho, depois de algum esforço, claro, sou completamente retardada pra essas coisas. Descobri exatamente o tamanho que a imagem tinha que ter (770×200 pixels) e lembrei que aqueles numerozinhos que ficam mudando alucinadamente quando você passa o mouse pelo paint são os pixels. Então decidi montar uma tela em branco com o tamanho certinho e brincar de corte e colagem. E descobri que eu até sou boa em corte e colagem no paint. Primeiro eu escolhi uma imagem austrália pro banner, tinha que ter canguru né…

Cuidado com o canguru.

Ok, escolhi o enfeitinho, tinha que escolher o fundo e tinha que ser algum lugar daqui, que eu já fui né (sou chata e perfeccionista). Então procurei imagens de Kangaroo Island, mas não achei nenhuma boa pra fundo, então procurei Glenelg e lembrei do Jetty de Glenelg, achei uma linda e cortei nos 770×200 pixels.

Jetty de Glenelg *-*

Eu sei, eu tenho um saco enorme. Próximo passo: tirar o fundo de céu da placa do canguru e fazer ela ficar do tamanho certo pra caber no banner.

Sim, eu limpei pixel por pixel. =D

Depois disso joguei a placa no fundo…

Vai dizer que não tá ficando lindo?

E pra terminar fui procurar uma fonte legal pro título. Fui num site de fontes e catei em todas as categorias procurando uma fonte com acento pro “diÁrio”, no final achei um link “acentuadas” e achei essa. Mas também tive que limpar, porque ela veio toda borrada e não dava pra botar em fundo colorido, só branco. Então limpei e pintei de amarelo placa:

E por fim juntei tudo, salvei e botei aqui:

Tcharam!

Nunca duvidem do poder do paint. No tweet a @ih_caraca disse que não sabia fazer banner, pq é toda trabalhada no paint. Também sou toda trabalhada no paint, foi com ele que eu fiz o banner. =D

Então foi assim gente, ninguém se interessou na promoção e a @ih_caraca ajudou de boa vontade porque ela é uma pessoa de bom coração e. Tá, chega. Só vou aproveitar pra agradecer mais uma vez: Brigada Tati! Você não salvou o Camboja mas salvou o meu blog. *-*

Obrigada também a você que passa por aqui. = D  Fui!

4 Comentários

Arquivado em Curiosidade

Changing homestay (parte 2)

Oii Brasil!! Espero que estejam aproveitando o feriado de vocês porque o meu é só segunda-feira. =D

Mas agora já é sexta de noite e como amanhã não tem aula dá pra contar o resto da história da família pra vocês.

Ontem eu falei dos problemas da casa da Suzi e comentei que ia mudar pra casa da Allison, mas não expliquei todo o processo, então vou explicar agora:

Comigo foi assim, nas férias a família da Suzi viajou pros EUA e eu tive que ir pra uma família provisória. Chegando lá já me apaixonei por eles, a casa não era extremamente arrumada, não tinha cara de hospital, tinha cara de casa, sabe? A segunda coisa foram as crianças, o Brad de 5 anos e a Sophie de 4 (sem piadinhas galera), eles são muito lindinhos, muito fofinhos e eu amo crianças. Outra coisa que também chamou minha atenção foi que eles dão internet wireless, de graça. =D

Os dias foram passando e eu vi que tinham mais vantagens: a comida era melhor, eu me sentia à vontade pra comer o que quisesse, a família toda conversava e jogava jogos, eu me senti em uma família de verdade. Então decidi conversar com o Paul pra ver se tinha como eu me mudar pra lá. Ele disse que ia conversar com a Allison e me contar, no dia seguinte a Allison veio falar comigo toda fofinha, falando que eles tinham espaço pra mim sim, sem o menor problema.

"Me dei bem. =D"

Nesse ponto você deve estar pensando “pronto né, problema resolvido”. Mas não é tão simples assim, eu tinha que esperar começarem as aulas, falar com a coordenadora (Mrs Goldfain fofíssima), preencher um formulário pedindo pro Student Services me mudar, esperar uma resposta e quando chegasse a resposta eu teria que falar pra Suzi que iria me mudar (isso morando com ela) e esperar duas semanas pra poder me mudar. Sim, eu estou passando duas semanas na casa dela com ela sabendo que eu vou mudar. Mas se eu não quisesse ficar aqui teria que pagar 500 dólares e bem… São só duas semanas e eu tenho amor pela minha mãe (beijo mãe!).

Segui todos os passos direitinho, deu tudo certo, dia 05/05, uma quarta-feira, a Allison vem me buscar aqui e meu intercâmbio vai ser completamente perfeito até dezembro. =D

Depois eu faço um post falando da família nova, hoje tenho mais coisinhas pra postar.

Ultimo detalhe: quem ficou com medo de cair numa família cu, vem pra Austrália, aqui eles te mudam rapidinho se você não tiver se sentindo bem na sua família. Mas se você for pros EUA vai ter que ficar na família cu (e na cidade cu, se não der sorte e cair num Texas da vida) até o final do programa. Mas pra quem vai fazer intercâmbio, boa sorte. =D

Beijinhos gente, e obrigada por passarem por aqui. =D

Deixe um comentário

Arquivado em Intercâmbio

Changing Homestay (parte 1)

Bom dia Brasil! Sintam-se vingados pelas minhas férias tendo feriado de tiradentes e são jorge enquanto eu vou pra escola. (ok, nem é grande coisa né, eu tive duas semanas de férias, mas vale =*)

Fiquei seriamente decepcionada com o número de pessoas que veio falar comigo sobre meu último post: nenhuma. Sim, eu realmente preciso de ajuda, senão o blog vai ficar com essa aparência pra sempre (ou vai mudar quando eu tiver quase voltando pro brasil devido ao fator preguiça e ao fator falta de conhecimento de informática), e eu realmente estou disposta a levar uma lembrancinha daqui pra quem me ajudar com isso, mas parece que ninguém tem bom coração e… Tá, chega de drama, vou começar o post novo. (Mas quem quiser, ainda tá valendo eim galera. =D)

Então gente, ontem foi meu primeiro dia de volta às aulas depois de férias maravilhosas que, por sinal, foram as minhas melhores férias de páscoa. Ok, eu nunca tive férias de páscoa, essa foi a única vez e eu ADOREI, o Brasil deveria seguir o sistema australiano, seria o paraíso, mas não, temos provas todo bimestre, teste quase todo sábado, TDs pra fazer (ou copiar da internet, beijos pro pessoal do palas), simulado de ENEM e férias que é bom só duas semaninhas no meio do ano.

Mas não vim aqui pra falar de férias, vim pra falar de mudança de família. Não sei se alguém lembra, mas eu falei em um post lá embaixo que com boas notícias vêm sempre boas notícias, mas eu não podia contar pra vocês a novidade porque ainda não tinha certeza e vai que não dava certo né? Mas agora já está tudo confirmado.

Esse post eu só fiz pra dar a notícia e explicar porque eu queria mudar, nos próximos eu explico todo o processo.

Agora vou falar dos problemas com a minha host family atual. Na verdade o problema mesmo é a minha host mother que às vezes dá uma surtada e me dá um certo medinho…

Minha primeira host mother.

Antes de explicar problema por problema, quero falar de uma das minhas teorias, aproveitando a foto dela: acho que ela é enjoada comigo porque se revolta quando vê meu cabelo. E uma teoria que a @supertatiana falou há um tempo foi “uma mulher não pode ser boa mãe com um cabelo desses.” Hmm, talvez ela esteja certa…

Ok, agora vamos aos problemas:

  1. O primeiro problema começou no primeiro dia: ela virou e falou que lavar a louça do jantar seria tarefa minha e do chinês. Até aí tudo bem né. Mas com o tempo isso foi me incomodando, eu e ele tínhamos que tirar a mesa toda, guardar tudo, lavar a louça de todo mundo, inclusive as panelas nojentas que eu detesto. Isso enquanto eles saem da mesa e vão ver TV. Juro que teve um dia que eu tava estressada, daí eu cantarolei “leree, leree”. Graças a deus eles não conhecem a escrava Isaura. =D
  2. Ok, segundo: num belo sábado do primeiro mês, meu quarto tava kinda bagunçado (tá, tava uma zona), aí a Suzi (a host mother) veio aqui no meu quarto e pediu pra eu arrumar. Ok, arrumei, tava até bonitinho. No sábado ela voltou aqui, olhou e começou um escândalo, falando que tava uma zona, que a casa dela tinha padrões e que se eu não seguisse as regras ela ia ligar pro student services pra mandarem procurar uma casa pra mim e que eu era muito preguiçosa e bla bla bla (isso em tom de escândalo). WTF?? AMIGA, NÃO SOU UM SAPATO QUE VOCÊ DÁ PROS POBRES QUANDO ENJOA OKEY?
  3. Tudo bem, passou o tempo, vamos pro terceiro problema: um belo dia (acho que era sexta-feira) eu acordei morrendo de dor de barriga (imagina a pior cólica que você já teve e multiplica por 8), fui falar com a Suzi néah, perguntar se podia ficar em casa porque tava dodói. O que ela respondeu? “No, take medicine and go to school.” (pra quem não entendeu é “Não, toma remédio e vai pra escola.) Daí eu tentei argumentar né, tava quase virando do lado avesso de dor, a única resposta dela foi “No”. OKEY NÉAH, fui pra escola com dor.
  4. Quarto problema (esse pra minha mãe foi o pior): um belo fim de semana ela decidiu ficar 3 dias sem fazer janta, eu sobrevivi a base de maçã e sanduíche. Isso quando a janta não é salsicha com salada e pão.
  5. Quinto (sim, tem mais): esse pra mim foi a gota d’água, juro que tentei conviver com o resto, mas com esse não deu. Foi assim: há mais ou menos um mês, num belo sábado, na internet falando com a galere do brasil à meia noite E VINTE. Daí o Rob (marido da Suzi) chegou do trabalho, viu que eu tava no computador, quase derrubou a minha porta e disse “VIVIAN, COMPUTER OFF!! TWELVE O’CLOCK!! COMPUTER OFF!!” e a partir desse dia eles começaram a vigiar o horário que eu desligava o computador pra dormir. COMO ASSIM BRASIL?? MEIA NOITE E POUQUINHA NO SÁBADO, EU FALANDO COM O POVO, DOMINGO NÃO TEM AULA, APARECE UM CARA BOLADO NA MINHA PORTA MANDANDO EU DORMIR?? Ah porra, sacanagem né? E pra piorar: eu tive que obedecer, cheia dos medinhos, o chinês não obedeceu e eles tiraram o computador dele por ~pasmem~ DUAS SEMANAS. Sério, se tirassem meu computador por 20 minutos eu ia dar ALOK.

Então gente, são esses os problemas, e a solução dos meus problemas foram as férias. Só vou introduzir o assunto pra continuar amanhã:

Tive duas semanas de Easter Holidays né, daí minha família viajou pros Estados Unidos e, pra eu não ficar aqui ao relento, o student services procurou uma família provisória pra mim. Então no primeiro dia de férias me levaram pra casa dos Vince: Allison, Paul, Sophie e Brad Vince. Uma família fofíssima que pra melhorar tinha mais 3 meninas da minha idade ou um ano mais velhas: uma alemã, uma koreana e uma de Hong Kong. Mas a alemã voltou pra Alemanha e vai uma alemã nova pra lá. Daí eu conversei com eles, perguntei se tinha vaga pra mais uma e disseram que sim. =D Fiquei muito feliz com isso porque eles são perfeitos, eles são tipo amo você, você me ama…

Somos uma família feliz *-*

Então gente, já são uma e meia da manhã e amanhã tem aula, então de noite eu entro pra contar o resto do processo de mudança. =D

Aaaah! Última coisinha!! Preciso agradecer de coração a todo mundo que vem aqui, hoje o blog completou 500 visualizações. Fiquei muito feliz por isso.

Enfim, vou dormir, beijos pra todo mundo que tá em casa curtindo o feriadão de tiradentes e são jorge. =*

6 Comentários

Arquivado em Intercâmbio

Promoção e pra mocinha!

Então galera, estou eu aqui, quase 5 da manhã, escondida no laptop pra fazer esse último post do dia.

Quando eu tive a ideia eu juro que pensei brincando, mas depois pensei: por que não?

É o seguinte: não sei se vocês já perceberam, mas eu tenho alguns problemas com recursos da internet, então meu blog fica com a aparência meio precária. Claro que sempre me esforço pra ele estar cheio de conteúdo, mas quando eu tento descobrir como faz pra mudar cores ou a imagem do título eu acabo ~quase~ piorando a situação, até que eu desisto.

Foi por isso que eu decidi fazer uma promoção. Não, eu não tô de sacanagem, é sério mesmo. Claro que tem alguns pré requisitos: eu tenho que pelo menos conhecer a pessoa né, senão complica. Conhecido de amigo meu também pode. =D

A promoção é a seguinte: quem souber usar esses recursos de blogs, conseguir fazer uma img bonitinha pro cabeçalho do blog e dar uma ajeitadinha ganha um presente australiano. =D

Eu tava pensando e vou dar opções pra pessoa escolher, dai eu pensei em:

  • Um canguru de pelúcia.
  • Um koala de pelúcia.
  • Um boomerang.
  • Uma toalha da Austrália.
  • Uma camiseta bolada de Adelaide ou da Austrália.

Então gente, é isso, quem quiser é só me mandar aquele scrap esperto que eu respondo e vou ser eternamente grata, e pode ter certeza de que não vou esquecer seu presente de recompensa por salvar a estética do meu blog. (Que nem tá ruim, mas não tá original né…) Juro que compro na mesma semana oq a pessoa escolher e até tiro foto pra provar, só não mando por correio porque é caro e porque meu postal pra minha tia extraviou.

Última coisinha: obrigada por passarem aqui, fico extremamente feliz quando alguém vem me falar que meu blog dá vontade de fazer intercâmbio também. Obrigada mesmo gente, de coração.

ps: não botei imagem porque o botão de inserir imagem tá de sacanagem comigo.

ps2: meu scrapbook eh http://www.orkut.com/Main#Scrapbook?uid=11598917965323631734 pra quem tiver interessado. =D

9 Comentários

Arquivado em Intercâmbio

Kangaroo Island (parte 3)

Oi gente, tô aqui de novo. =D

Antes de continuar a falar da minha ~aventura~ em Kangaroo Island vou fazer um comentário de uma coisa que me deixou muito feliz: esse é o meu primeiro blog (de verdade né), eu sei que eu não sou muuito dedicada e não posto muuito, mas hoje fui ver quantas visualizações ele já teve desde o primeiro post e quase chorei de emoção: 413. Queria agradecer a todo mundo que vem aqui, fico muito feliz de saber que as pessoas realmente lêem o que eu escrevo. Obrigada mesmo e desculpa por sumir de vez em quando.

Ok, agora vou continuar falando da viagem pra Kangaroo Island. Mas antes de falar do segundo dia vou botar um mapinha pra vocês terem noção de onde é Adelaide e de onde é Kangaroo Island:

Agora que vocês já sabem aonde fica Kangaroo Island, vamos ao segundo dia:

Acordamos cedo porque tínhamos horário marcado na Seal Bay, quando acordamos descobrimos que o nosso hoStel tava sem água E sem luz, e que o café da manhã não ia ter as panquecas que a kate tava preparando no dia anterior. Decepcionada e SEM BANHO comi granola com sucrilhos, mel e leite, tava MUITO bom, mas não era panqueca.

Nos arrumamos, catamos nossas coisas e fomos pra Seal Bay. Chegamos lá tínhamos horário marcado com um coroa muito simpático e muito empolgado (tive medo da empolgação dele porque tava frio, chovendo e era mais ou menos 9 da manhã). Ele explicou pra gente que nós íamos ver leões marinhos (vou confessar que não prestei atenção nessa parte e até hoje acho que o bicho na SEAL bay é SEAL (foca) e não sea lion, mas é leão marinho sim, vi no site de Kangaroo Island), disse também que eles passam 3 dias no mar, caçando e 3 dias na praia descansando, que nós estávamos indo ver os bichinhos dormindo e que não devíamos chegar a menos de 10 metros deles porque eles se irritam, saem correndo atrás das pessoas e mordem (tive medo). Outra coisa interessante que ele disse foi que essa espécie só pode ser encontrada nessa praia que nós fomos, que em nenhum outro lugar do mundo nós poderíamos ver esses bichinhos fofinhos. Vou botar algumas fotos deles pra vocês verem que emoção.

O primeiro leão marinho

Vimos um da ponte pela qual estávamos indo pra praia, eu já tava emocionada com um lá longe, até que eu cheguei na praia e pude tirar fotos como essas:

Família unida dormindo unida

Sim, essas massas cinza são leões marinhos.

O mais tchutchuquinho *-*

Então gente, foi mó emoção e tal, mas a gente tinha que seguir em frente pra ir pra próxima parada, o sand boarding. Mas quando nós estávamos voltando por um outro caminho de madeira adivinha o que nós vimos?

Um neném leão marinho mamando *-*

Gente, vou confessar que quase chorei. Sim, sou emotiva, chorei vendo a Dreams come true na Disney, tenho todo o direito de chorar vendo um leão marinho mamando. Mas OK, acabou o momento leão marinho (que até outro dia eu jurava que era foca), vamos para o sand boarding.

Se você já me conhece deve estar pensando “AHAM QUE ELA FEZ SAND BOARDING”, quando eu cheguei lá eu pensei a mesma coisa né. Chegamos no little sahara, eu olhei pra cima e pensei “não vou subir essa merda nem fudendo”. Desculpa o palavrão gente, é que foi um momento intenso na minha vida. Não vou botar foto de lá porque é tipo SÓ AREIA, mas eu subi uma duna enorme. Lá em cima eu sentei na areia e fiquei vendo o pessoal descendo as dunas né, os meninos foram até uma duna enorme que era longe demaais e eu fiquei lá na primeira esperando o pessoal cansar de descer as dunas. No final a Kate acabou me convencendo a descer a merda da duna. E eu desci e foi MUITO FODA. Ok, foi uma vez pra nunca mais, fiquei com mó medo  de virar, de sair rolando, de ficar toda cagada de areia… Mas foi muito divertido.

Depois que eu desci a duna começou a chover bem mais do que tava chovendo (você deve estar pensando “também né, você teve coragem, por isso choveu”. mas tudo bem, eu pensei isso na hora), fomos pro mini ônibus e depois que chegou todo mundo nós fomos pra última parada: o Island Beehive. É o lugar aonde vende o mel da ilha, que é um dos melhores da Austrália porque as abelhas de lá tem alguma coisa de especial que eu não entendi. Sentamos na lojinha, provamos mel, eu comprei um potão de Natural Wax Cappings, que é tipo o mel na cera, que eu AMO, comprei também um potinho de mel cremoso, chocolate com mel, um misto quente e um capuccino, tudo muito bom.

Como não tirei foto peguei a foto do Pedro. =D

De lá fomos pro “centro” de Kangaroo Island esperar dar o horário do nosso barco da volta, então sentamos num pubzinho e ficamos conversando e comendo batata frita (gente, pasmem, a batata frita era MUITO BOA e era 3 dólares o potão). O pub era muito bonitinho e tinha umas camisas de futebol australiano e coisas assim na parede.

Essa eu também peguei do Pedro. =D

Então deu o horário do barco e voltamos pra Adelaide. =D

Você deve estar pensando “finalmente né, achei que não fosse acabar nunca os posts dessa viagem”. Mas não acabou aí, o Caio e a Júlia pararam antes, mas eu, a Giu (nossa coordenadora linda =D), o Pedro, o Luís, o Rodrigo e o André saímos do mini ônibus na North Terrace, levamos a Giu no hotel dela pra ela deixar as malas e fomos jantar, fechamos muito bem um final de semana perfeito.

Mas claro, tinha que acontecer alguma coisa ruim: depois de jantarmos, eu, o Pedro e o André estávamos indo pra King William pegar o ônibus, mas como estava muito tarde eu decidi ir de taxi pra casa. Até aí tudo bem, o problema foi no dia seguinte: descobri que deixei minha carteira cair no chão do taxi com meus dois cartões, todo o meu dinheiro e meus bilhetes de ônibus.

Entrei em desespero né, liguei pra minha mãe pedindo socorro e ela pra variar disse “se vira”, e foi o que eu fiz, decidi que se não achasse ia ligar pros cartões pra mandar bloquear e ligar pras companhias de taxi. Isso tudo aconteceu no ônibus, voltando da escola, quando eu cheguei na porta de casa dei graças a deus por estar na Austrália e pelos australianos serem o povo mais honesto que eu já conheci, o taxista lembrou de mim e deixou a minha carteira com ~pasmem~ todos os meus cartões, meus bilhetes de ônibus e meus cinquenta dólares na calçada, na porta da minha casa. *-*

Assim acabou a trip roots de Kangaroo Island. Obrigada por passar por aqui, desculpa por ter feito um post tão grande, mas não queria deixar o final da viagem pra outro dia. Beijinhos pra todo mundo que vem ler o que eu falo, espero que gostem. =D

7 Comentários

Arquivado em Intercâmbio, Viagens